00-topo-img.png

PRÊMIO INOVA MINAS GERAIS

O TRABALHO É DE AUTORIA INDIVIDUAL OU DE UM GRUPO?
Em grupo
PROPONENTE
Charliston Marques Moreira
E-MAIL INSTITUCIONAL
charliston.moreira@agenciarmbh.mg.gov.br
TELEFONE INSTITUCIONAL
(31) 3915-6988
CELULAR
(31)99893-0240
ESTADO
Minas Gerais
MUNICÍPIO
Belo Horizonte
ÓRGÃO/ENTIDADE
Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte
REGISTRO/MASP
12922514
Nome Registro CPF Email Telefone institucional Celular
Diego Pessoa Santos 752661-9 07656409610 diego.santos@agenciarmbh.mg.gov.br (31) 3916-7690 (31)98842-2878
Guilherme Couto Soares 669158-8 48245755672 guilherme.couto@fazenda.mg.gov.br (31) 3915-6642 (31)99971-4336
Renato Oliveira Deluca 371773-3 55668003604 renato.delucca@fazenda.mg.gov.br (31) 3915-6170 (31)99893-0240
Antônio Amorim Filho 387848-5 46474889691 antonio.amorim@fazenda.mg.gov.br (31) 3915-6170 (31)99893-0240
CATEGORIA
Ideias Inovadoras Implementáveis
TEMÁTICA GERAL
Inovação em Políticas Finalísticas
ÁREA TEMÁTICA ESPECÍFICA
Infraestrutura e Logística
TÍTULO
Matriz Origem e Destino de Cargas
RESUMO
A matriz origem e destino de cargas de 2018 tem o objetivo de gerar informações sobre o fluxo de cargas e de veículos com cargas que circulam na RMBH, incluindo as cargas que entram, saem e atravessam a região. Dentre as informações destacam-se as toneladas transportadas, quantidade de viagens, tipo de veículo, zonas de entrega e atividade econômica. Para a elaboração da matriz, foi realizado um convênio entre a Agência RMBH, SEINFRA e a SEF, que disponibilizou acesso aos dados fiscais. A Agência RMBH utilizará os dados das notas fiscais, conhecimentos e manifestos de transporte. A geração da matriz com todos esses documentos é um trabalho inédito no Brasil, e permite realizar um diagnóstico detalhado do setor de transporte de cargas e da economia da RMBH. O diagnóstico é o insumo para as políticas que visam aumentar a competitividade econômica da região, e reduzir os impactos negativos do transporte de cargas. Como exemplo cita-se o cálculo do impacto da construção do rodoanel.
PALAVRAS-CHAVE
Matriz de cargas Logística urbana Mobilidade urbana
ÓRGÃO/ENTIDADE EXECUTOR(A)
Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte
CANVAS DE ESTRUTURAÇÃO DE PROJETOS INOVADORES
Recursos Humanos para gerar a matriz e informações

Acesso ao servidor da SEF

Computador para acessar o servidor e gerar a matriz



Falta de informações sobre o fluxo de cargas da RMBH

Falta de dados sobre o fluxo de veículos com cargas da RMBH

Necessidade de planejamento da mobilidade da RMBH

Necessidade de planejamento da logística urbana da RMBH

Moradores e visitantes da RMBH

Gestores de trânsito e transporte

Setores da indústria, comércio, serviços e transportes



Agência RMBH, SEF e SEINFRA

SEMAD, FEAM

Setor privado



Construção da matriz origem e destino de cargas da RMBH

Geração de informações com base nos dados da matriz

Diagnóstico do fluxo de cargas e de caminhões



Indisponibilidade de acesso aos dados da SEF

Rompimento do convênio pela SEF





Não há custos para a geração da matriz e das informações







Economia financeira para a contratação de pesquisas de campo

Precisão no diagnóstico do setor de transporte de cargas

Informações para a melhoria da mobilidade

Informações para a redução de congestionamentos e poluentes

Inteligência para fiscalização de cargas
Criação de metodologia de automatização do processo

Geração de matrizes anuais

Compartilhamento da metodologia com a SEINFRA e SEF

Compartilhamento de informações com a SEMAD e FEAM

Geração de informações públicas para o setor privado
DETALHAMENTO DA IDEIA/INICIATIVA
O QUE? POR QUE?
DESAFIO/PROBLEMA
A Lei 12.587 determina que os planos de mobilidade considerem o transporte de cargas em seu planejamento. A última greve dos motoristas reforçou a importância do setor na economia e no cotidiano das pessoas, além de mostrar a insatisfação com algumas políticas públicas. O Governo do Estado, através da SEINFRA, com o apoio da Agência RMBH, está desenvolvendo o plano de mobilidade da RMBH, que visa definir as diretrizes, ações e projetos voltados a proporcionar o acesso amplo e democrático às cidades. O Plano possui três grandes eixos, um deles trata da logística urbana, que aborda o fluxo de cargas e de caminhões que circulam na RMBH. Uma das etapas do eixo logística de cargas é a realização do diagnóstico do setor. Para isto, são necessárias informações sobre a localização das empresas e o fluxo de cargas e caminhões. Essas informações podem ser coletadas através de pesquisas de campo, que possuem alto custo, grande tempo de realização e considerável margem de erro. Todas essas informações são coletadas nos documentos fiscais da SEF. O manifesto eletrônico possui dados das viagens e veículos, o conhecimento eletrônico possui os dados das origens, destinos e peso das entregas, e a nota fiscal possui informações sobre as mercadorias. A utilização dos dados fiscais reduz, em quantidade considerável, o custo do trabalho, o tempo de realização, e a margem de erro das informações. Além do plano de mobilidade, a matriz servirá de subsídio para outras políticas, como a estimativa de consumo de combustível e emissão de poluentes, e o mapeamento da circulação de cargas perigosas na RMBH, contribuindo para a definição de políticas ambientais e de prevenção de acidentes com veículos que transportem produtos perigosos, como combustíveis e outras substâncias químicas. Espera-se que, a cada ano, seja construída uma nova matriz. A metodologia da elaboração da matriz recebeu o apoio de diversos setores da indústria, comércio e transporte do Estado.
IDEIA/INICIATIVA
O objetivo da metodologia é a construção de matrizes com informações sobre o fluxo de cargas e de veículos com cargas que circulam na RMBH com precisão e baixo custo. Atualmente estes fluxos são desconhecidos dificultando a definição das políticas. A metodologia tradicional de coleta destes dados envolve pesquisas de campo que são caras, demoradas e com grande margem de erro. A metodologia permitirá a geração de matrizes de períodos e regiões distintos rodando rotinas pré-definidas sem a necessidade de programação. As rotinas poderão ser alteradas com facilidade para gerar informações específicas de determinados setores do transporte como o ferroviário e aéreo.
ESTUDOS PRELIMINARES (SE HOUVER)
Essa metodologia foi aplicada no Plano de Mobilidade da RMBH, coordenado pela SEINFRA. O consórcio vencedor do contrato construiu a matriz de cargas utilizando os dados fiscais de 2017. A metodologia foi absorvida pela Agência RMBH, que inseriu no seu planejamento estratégico a construção da matriz 2018 e dos demais anos. Os resultados da matriz de 2017 foram discutidos com atores do setor privado, como a FIEMG, CDL-BH e Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de MG, que julgaram o trabalho aderente a realidade e estratégico para a definição de políticas públicas.
GRAU DE NOVIDADE
A matriz origem e destino de cargas elaborada com dados do manifesto eletrônico, conhecimento de carga eletrônico e nota fiscal eletrônica é inédita no Brasil. Dois trabalhos em outros estados utilizaram apenas os dados das notas fiscais eletrônicas. Esses trabalhos possuem grande margem de erro, pois, fazem agrupamentos das notas para inferir sobre as viagens dos caminhões. O manifesto e o conhecimento eletrônico são documentos específicos do transporte de cargas, e fornecem todas as informações dos fluxos dos veículos. Estes três documentos cruzados permitem diagnosticar com exatidão o setor de cargas. A metodologia de construção da matriz de 2018 foi utilizada na construção da matriz de 2017 pelo consórcio vencedor do contrato do Plano de Mobilidade da RMBH. Os resultados da metodologia foram avaliados pelo Governo do Estado e por atores privados. Todos julgaram os resultados da matriz estratégicos. A Agência RMBH dará continuidade ao trabalho gerando matrizes anuais.
VALOR GERADO
A matriz resolve o problema de falta de informações sobre o fluxo de cargas e de veículos com cargas que, historicamente, prejudica todo o país. A falta dessas informações dificulta a construção de políticas com foco na eficiência do setor de transporte e desenvolvimento econômico. Até o momento, a maioria das políticas públicas abrangem apenas restrições aos caminhões em locais e horários variados. Essas restrições são impostas quando ocorrem acidentes ou aumento do congestionamento. Mas as restrições geram aumento dos custos dos transportes que são repassados para os produtos e serviços, prejudicando toda a economia e população. A matriz permite conhecer as vocações econômicas das regiões e suas relações de fluxos de cargas para definir políticas com foco no desenvolvimento econômico e não na restrição aos caminhões. Ao final do formulário está o relatório da matriz de 2017 contratada através de licitação.
FATORES IMPORTANTES
PÚBLICO ALVO
A matriz atende diretamente às necessidades da Agência RMBH e da SEINFRA no planejamento da mobilidade, transporte e uso do solo. Indiretamente, o planejamento atingindo com os dados gera melhorias nas condições de mobilidade, gerando benefícios para toda a população que circula na RMBH. Além da população, a melhoria da logística de cargas gera reduções nos custos das empresas de todos os setores econômicos: indústria, comércio, transportes e serviços.
RISCOS E INCERTEZAS
O maior risco do trabalho refere-se ao acesso aos dados, que é possível através do convênio de cooperação técnica entre a Agência RMBH, SEF e SEINFRA. O convênio está em processo de renovação, e possuirá um período de cinco anos. Os trabalhos com os dados continuam em paralelo à renovação. O segundo maior risco é a disponibilidade do servidor de dados da SEF, que possui grande demanda de processamento. Até o momento os trabalhos correram conforme o cronograma. O terceiro grande risco refere-se ao sigilo dos dados, que foram garantidos pela metodologia de agrupamento por unidade espacial e atividade econômica. Essa garantia foi aprovada pelo jurídico da SEF.
ESTRATÉGIA DE APRIMORAMENTO E MULTIPLICAÇÃO
Os processos gerados na construção da matriz podem ser adaptados para gerar matrizes de outras áreas do Estado, além da RMBH. Já existe a demanda da SEINFRA para expandir a análise para todo o Estado. Existe também a possibilidade de escolher o período dos dados, para criar séries históricas e calcular tendências. Toda a metodologia está sendo compartilhada com a SEF e SEINFRA, para atendimento de suas necessidades. Os processos estão sendo aperfeiçoados para rodar com o mínimo de esforço pessoal e computacional. A Agência RMBH será responsável por gerar matrizes com os dados de 2018 a 2022. Os resultados são comparados com os fluxos de caminhões e cargas nas principais rodovias da RMBH para validação. Além de ser submetida às críticas do setor privado, principalmente do setor de transporte de cargas. A Agência RMBH e a SEINFRA estão elaborando um termo de cooperação técnica com a Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG para utilizar a matriz na geração de informações econômicas associadas ao transporte de cargas.
INSUMOS
RECURSOS NECESSÁRIOS
RECURSOS HUMANOS
A dedicação dos recursos descritos é parcial e não interfere nas demais atribuições. 01 servidor especialista em transportes da Agência RMBH; 01 servidor para disponibilizar os dados na SEF; 03 servidores para avaliar a garantia do sigilo dos dados na SEF.
INFRA-ESTRUTURA
A construção da matriz requer a utilização parcial dos seguintes recursos: Servidor de dados da SEF; Computador da Agência RMBH; Servidor especialista em transporte da Agência RMBH; Servidores da SEF para disponibilização dos dados.
ANÁLISE FINANCEIRA
CUSTOS DE IMPLANTAÇÃO/MANUTENÇÃO
Todos os custos de implantação e manutenção são relativos à recursos próprios da Agência RMBH e SEF.
RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS E FINANCEIROS
Todos os recursos utilizados na construção da matriz, incluindo o computador e pessoal, são próprios (orçamento próprio).
PARCERIAS
A construção da matriz exige um convênio de cooperação técnica, sem repasses financeiros, com a SEF. Este convênio está sendo renovado e abrange a SEINFRA. A motivação do convênio foi a construção de dados para o planejamento da mobilidade. O trabalho também tem o potencial de gerar informações estratégicas para a área de fiscalização da SEF. A matriz permite, além de análises de mobilidade, calcular o consumo de combustíveis e emissão de poluentes dos caminhões que circulam na RMBH. Logo, foi articulado com a FEAM a possibilidade de construir um relatório de emissão de poluentes do setor. A matriz permite também identificar as rotas dos caminhões com cargas perigosas, o que foi considerado pela SEMAD um produto importante para a área do meio ambiente. Vários atores da economia do Estado estão com ótimas expectativas com os resultados da matriz. Estes setores participaram de reuniões de apresentação da metodologia e tiveram representantes da FIEMG, CDL-BH, ACMINAS, SETCEMG, FETCEMG, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil e Polícia Militar. A Agência RMBH e a SEINFRA estão elaborando um termo de cooperação técnica com a Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG para utilizar a matriz na geração de informações econômicas associadas ao transporte de cargas.
ESTRATÉGIA DE IMPLANTAÇÃO
A construção da matriz 2018 começa com a disponibilização dos dados pela SEF através de um convênio de cooperação técnica. O convênio está em fase de renovação, mas o acesso já está sendo utilizado. Com a disponibilização,as etapas são as seguintes: 1. Georreferenciamento das empresas e agrupamento em unidades espaciais. 2. Identificação e agrupamento das empresas por atividade econômica. 3. Análise e consolidação dos dados dos manifestos eletrônicos. 4. Análise e consolidação dos dados dos conhecimentos de carga. 5. Análise e consolidação dos dados das notas fiscais. 6. Cruzamento dos dados e construção da matriz. 7. Geração de informações.
CRONOGRAMA
DESCRIÇÃO INICIO TÉRMINO STATUS ATUAL ENTREGA PREVISTA
Georreferenciamento das empresas e agrupamento em unidades e 01/08/2019 30/08/2019 em_andamento empresas agrupadas por unidade espacial.
Identificação e agrupamento das empresas por atividade econô 01/09/2019 09/09/2019 a_iniciar empresas agrupadas por atividade econômica
Análise e consolidação dos dados dos manifestos eletrônicos 10/09/2019 25/09/2019 a_iniciar viagens dos veículos mapeadas
Análise e consolidação dos dados dos conhecimentos de carga 26/09/2019 10/10/2019 a_iniciar entregas de cargas mapeadas
Análise e consolidação dos dados das notas fiscais 11/10/2019 01/11/2019 a_iniciar fluxo de cargas mapeado
Cruzamento dos dados e construção da matriz 04/11/2019 25/11/2019 a_iniciar matriz de cargas de 2018
Geração de informações 26/11/2019 10/12/2019 a_iniciar diagnóstico do fluxo de cargas e de caminhões
1º Arquivo: